Identificando réplicas: como saber se seu All Star é original?

Comprou um All Star por aí e bateu aquela dúvida sobre a autenticidade do seu tênis? Esse processo pode ser muito frustrante e é bem mais comum do que você imagina. A boa notícia é que existem características específicas do tênis original que, se observadas com atenção, podem te ajudar a tirar a pulga atrás da orelha de uma vez por todas. 

Para te ajudar nessa missão, a Espaço Tênis elencou 7 principais elementos de diferenciação que devem ser checados antes de dar o veredito. Preparado/a? Acompanhe o passo a passo com a maior especialista em All Star do mercado brasileiro e saiba se seu tênis é original ou não!

Analisando seu All Star: de olho nos detalhes

Antes de partir para a análise cuidadosa do seu Converse, adiantamos um fator importante: infelizmente, as réplicas menos óbvias disponíveis hoje podem ser quase idênticas aos tênis originais – pelo menos na aparência externa, o que oculta uma diferença bem gritante na qualidade dos materiais. 

Isso acontece por causa da simplicidade clássica que fez do All Star um tênis tão popular e tão icônico. Sua logo é simples e limpa, seu design não possui detalhes imbricados e sua construção é tradicional, super básica. Esses elementos que adoramos também o tornam um alvo fácil dos copiadores, que ao longo do tempo aperfeiçoaram cada vez mais suas técnicas.

Mesmo assim, ainda é possível separar o joio do trigo! Observe com cuidado os seguintes aspectos do seu tênis e, se possível, compare-o com um All Star original comprado de um fornecedor confiável: 

1. Dê uma boa lida na tag

Todo tênis All Star original vem com uma etiqueta fácil de reconhecer. Ela deve possuir material de qualidade, num papel de acabamento acetinado, e a impressão não pode estar borrada ou torta. Nela, deve haver informações sobre os cuidados necessários com o tênis, bem como o contato do fabricante. 

2. Observe a etiqueta de numeração

Na parte interna da língua do seu All Star, você encontrará uma etiqueta de numeração e identificação. Ela possui um acabamento levemente plastificado e deve estar completamente colada ao tecido. Nas versões falsificadas, essa etiqueta tende a apresentar pontas soltas e se descolar com mais facilidade. 

Nela, você verá a frase “feito no brasil” em inglês e em francês, um número de identificação, a numeração brasileira e americana do seu tênis, um QR Code do fornecedor e a palavra “Converse”. Observe se todas as informações são legíveis, nítidas e sem borrões.  

3. Observe o patch circular com a logo All Star

O logo estrelado tão tradicional dos tênis converse também pode te ajudar a identificar falsificações. O primeiro sinal de alerta deve ser a qualidade da impressão. Novamente, se identificar borrões ou elementos tortos, pode ter certeza de que se trata de uma réplica. 

As cores da logo podem mudar em modelos diferentes, mas ela sempre possui uma única estrela centralizada com a assinatura Chuck Taylor, com as palavras “Converse All Star” na parte superior e inferior. Duas linhas pontilhadas margeiam o círculo. Nas versões mais tradicionais, a estrela, a assinatura e as linhas vêm em azul marinho, enquanto “Converse All Star” aparece em vermelho. O emblema também deve estar bem preso ao tecido, sem pontas soltas, completamente colado. 

4. Cuidado com o patch traseiro

Na parte inferior do calcanhar haverá um patch emborrachado que deve dizer Converse All Star, com uma estrelinha no meio. Algumas réplicas se esquecem da palavra “Converse”, enquanto outras não adicionam a estrelinha. É comum que esse patch se desgaste com o uso, chegando a desaparecer por completo. Todos os tênis novos e originais, porém, devem apresentar esses elementos. Fique atento/a!

5. Cheque a pintura

Hoje em dia, existem infinitas variações de cores para o All Star, e é quase impossível dizer que o modelo é falsificado com base neste quesito. Mesmo assim, você pode observar a qualidade e consistência da cor do seu tênis. Os Converse originais são sempre muito uniformes em cor, sem manchas, partes mais fortes, mais fracas ou desgastadas. Os modelos pretos e vermelhos, os mais tradicionais, possuem pigmentação bem forte, enquanto o branco é completamente branco.

6. Cuidado com os acabamentos

Procure por costuras tortas, mal feitas e que se soltam facilmente, sinais claros de falsificação. Na lateral do solado, observe a linha preta feita em borracha, que deve ser reta e sem elevações. Na etiqueta colocada sobre a língua do tênis, cheque a qualidade do bordado.  

7. Detalhes da palmilha

Na palmilha do seu All Star original, você encontrará a palavra “Converse” impressa de maneira centralizada e nítida. Borrões, linhas tortas e falhas indicam falsificação. Se a impressão estiver gasta, pode ser sinal de que você tenha comprado um tênis usado, não necessariamente falsificado. De qualquer forma, qualquer um desses elementos deve levantar suspeitas.

Realizar todos esses passos é um trabalho minucioso, quase que uma missão de detetive. Essa observação cuidadosa, porém, pode te oferecer segurança para questionar seu vendedor ou recusar produtos duvidosos. 

De qualquer maneira, reforçamos a importância de comprar com lojas confiáveis, parceiras oficiais da Converse que com certeza estarão abertas para responder dúvidas e solucionar possíveis problemas com seus produtos. A Espaço Tênis é uma delas!

Para mais dicas imperdíveis como essas, fique ligado/a nas atualizações do nosso blog, que acontecem toda semana. Quer ver algum assunto específico por aqui? Conte pra gente nos comentários! Suas sugestões são importantíssimas para que esse nosso espaço de moda, estilo e informação continue crescendo.

Ah, é claro: para ficar por dentro de todas as novidades da loja, recebendo em primeira mão todos os modelos novos, você precisa seguir a Espaço Tênis no Instagram! A gente se vê por lá! 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.